Página Inicial » Notícias


La Niña acende sinal de alerta em lavouras do RS 13/12/11 - 00:00
13/12/2011 19:49

Os mapas que mostram a variação da temperatura nos oceanos e as ocorrências de chuva na Amé­rica do Sul anunciam um La Niña “de moderado a forte”, afirma o agrônomo Marco Antônio dos San­­tos, da Somar Meteorologia. “As águas do Pacífico estão 1 grau (C) abaixo do normal, as estiagens ocor­­rem em regiões isoladas e a irregularidade nas precipitações fica evidente. Com um La Niña de médio a moderado, os impactos na agricultura tendem a ser pequenos, não devem ocorrer quebras expressivas”, avalia.

Novembro, no entanto, foi suficiente para acender o sinal de alerta no Rio Grande do Sul. Na região de Cruz Alta, onde as lavouras esperavam 160 milímetros de precipitações, houve apenas 60 mm, um desvio de 60%. Outro importante polo de produção de grãos, a região de Passo Fundo registrou queda de 141 mm (média histórica) para 77 mm no mês passado, volume 45% menor que o considerado normal.

Em Mato Grosso, o impacto da variação climática será dimensionado também pela concentração do plantio num período mais curto. A tarefa foi concluída em dez semanas, como em 2010 – duas semanas a menos do que em anos anteriores, conforme o Instituto Mato-Gros­sen­­se de Economia Agropecuá­ria (Imea). Se faltar ou sobrar chuva em períodos cruciais, as perdas tendem a ser maiores.

Os dados do Centro de Pre­­visão de Tempo e Estudos Cli­­máticos (CPTEC) do Instito Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) mostram que choveu en­­tre 50% e 100% abaixo da mé­­dia no extremo Oeste de Mato Grosso em novembro. Mas em dezembro, as chuvas estão dentro da média ou até 25% acima do normal na região.

Nos demais estados, as va­riações climáticas ainda não causam impacto significativo na produção de grãos. Mesmo considerando Paraná e Santa Cataria, que tinham previsão de seca a partir de de­­zembro.
 



Fonte: Gazeta do Povo

Página Inicial - O PROALMAT - Legislação - Contato

Todos os direitos reservados.