Página Inicial » Notícias


Inseticida é solução de ponta para controle de lagartas no baixeiro do algodão, segundo agroquímico 20/10/2011 08:40
20/10/2011 12:32

Até dois anos atrás os produtores brasileiros de algodão contabilizavam perdas representativas em suas lavouras por conta do ataque de lagartas à parte inferior da planta ? ou ?baixeiro?.
É nessa área, por sinal, que em geral se concentram as “maçãs” de melhor qualidade do algodão, segundo especialistas. O novo inseticida da DuPont de marca Premio, porém, está invertendo essa lógica.

O complexo de lagartas do algodoeiro – lagarta da maçã, spodoptera, pseudoplusia e curuquerê - é alvo desse produto cuja utilização na cultura deverá novamente crescer em sua terceira safra depois de lançado. O inseticida da companhia americana se constitui num insumo de última geração. Desenvolvido a partir de uma nova classe química chamada Rynaxypyr, é usado em baixas doses e com menor impacto ao homem e ao meio ambiente.

“Verificamos que as perdas dos produtores que utilizam Premio na proteção do ‘baixeiro’ da planta têm sido reduzidas em proporções representativas”, assinala Fábio M. Andrade e Silva, engenheiro agrônomo e pesquisador da DuPont. “Esse atributo do nosso produto deverá fazer dele um dos mais empregados no algodoeiro nos próximos anos”, acredita o executivo.

De acordo com Andrade, 30% da produção do algodão advêm da parte superior da planta, ou ponteiro; 70% restantes, do ‘baixeiro’. “Antes de Premio, não havia no mercado um inseticida que apresentasse a mesma eficiência na proteção do ‘baixeiro’. Com o nosso produto, os agricultores estão ampliando a produtividade e rentabilizando suas lavouras”, afirma o especialista.

“Para o produtor tirar o máximo proveito da ação de Premio no algodoeiro, nós recomendamos um programa de aplicação que começa nos primeiros 45 ou 50 dias da cultura”, acrescenta Thomas Scott, gerente de marketing da companhia para a cultura do algodão. “Durante a safra, outras duas aplicações em momentos específicos asseguram proteção por, em média, 400 dias”, revela.

Segundo os executivos, o inseticida Premio exigiu vários anos de pesquisas antes de chegar ao algodoeiro. “O produto resulta da inovação e da diretriz global da DuPont, que investe em soluções tecnológicas em favor de uma agricultura mais produtiva e sustentável”, assinala Andrade.

Ele destaca também outros atributos do novo Premio, como sua ação rápida e o longo período de controle ou residual, além da resistência às chuvas. “Importante lembrar que o Premio é um inseticida com perfil ambiental favorável, altamente seletivo aos inimigos naturais das pragas que controla e por isso ideal nos programas de Manejo Integrado de Pragas (MIP)”, complementa. “Seu modo de ação provoca uma parada alimentar na praga, que para imediatamente de atacar o algodoeiro”, finaliza Andrade.

Para reforçar os atributos de Premio a DuPont está investindo numa campanha publicitária inovadora exibida desde o mês de setembro último no Programa Globo Rural, da Rede Globo e também durante a programação Canal Rural. Com o tema "Proteger a minha lavoura é proteger o meu investimento", o filme de Premio focaliza os excelentes resultados proporcionados pelo produto, principalmente através de depoimentos fornecidos pelos clientes da DuPont.

 

 



Fonte: Portal do Agronegócio

Página Inicial - O PROALMAT - Legislação - Contato

Todos os direitos reservados.